Pampa Gaúcho

O significado da palavra pampa é região plana. A origem da expressão é quéchua, um idioma sulamericano de origem indígena que também era utilizado no império dos incas. Abrangendo cerca de 700 mil km², os pampas brasileiros ocupam aproximadamente 2,4% da vegetação do País. Além disso, estão presentes na República Oriental do Uruguai, Corrientes, Entrerríos, Santa Fé, La Pampa, províncias de Buenos Aires e no Rio Grande do Sul. Sua localização fica entre o 30º e o 34º na latitude sul e 63º e 57º na latitude oeste.

Também conhecido pelos nomes de Campanha Gaúcha, Campos Sulinos e Campos do Sul, o pampa foi o território onde ocorreram as batalhas da Guerra do Paraguai entre os anos de 1865 e 1870, conflito que teve participação do Paraguai, Brasil, Argentina e Uruguai.

Apesar de ser uma área de campos, o Pampa Gaúcho também apresenta outras formações geográficas como grutas e cavernas, encontradas em regiões como Caçapava do Sul e Pedra do Segredo. Além disso, possui sítios arqueológicos como o de Mata, cidade do Rio Grande do Sul, onde são encontradas árvores petrificadas.

No que se refere à vegetação, o pampa tem o predomínio da herbácea, que possui entre 10 e 50 cm de altura, gramíneas, alguns arbustos e árvores (perto de cursos d’água); e plantas rasteiras. O relevo aplanado possui entre 500 metros e 800 metros de altitude.

Ao ser observado ao longe, o pampa tem a aparência de um tapete verde por possuir paisagem plana e homogênea. Em comparação a savanas e florestas, o pampa é considerado fundamental na atenuação do efeito estufa, controle da erosão do solo e preservação da biodiversidade.

Na parte do pampa que pertence o Brasil, são encontrados mais de 3 mil tipos de plantas vasculares. Entre elas, destacam-se as gramíneas como o capim-mimoso, que compõe a dieta de equinos, bovinos e grandes herbívoros silvestres.

A pampa conta com mais de 350 espécies de aves como caturritas, anus-pretos e pica-paus, além de 90 tipos de mamíferos como tatus, veados e guaraxains. Com temperatura amena e chuvas que não variam muito durante o ano, o clima do pampa é considerado subtropical. Com solo fértil, é uma área importante para a agropecuária.

Na região do pampa, encontram-se diversos animais ameaçados de extinção. Entre eles estão: tamanduá, caxinguelê, preguiça-de-coleira, espécies de saguis, mico-leão-dourado, guariba, macaco-prego, jaguatirica, onça pintada, entre outros. As aves em risco de extinção são: gaturamos, saíras, tucanos, beija-flores, sanhaço, araponga, tié-sangue, jacutinga, macuco e o jacu.

 

Flora e fauna

Os Pampas, juntamente com a Mata de Araucárias, correspondem à província fitogeográfica das Napaeae de Martius (1858).
 
Ecologicamente, é um bioma caracterizado por vegetação composta principalmente por gramíneas, plantas rasteiras e algumas árvores e arbustos encontrados próximos a cursos d’água, que não são abundantes.
 
Na parte brasileira do bioma, existem cerca de 3.000 espécies de plantas vasculares, sendo que aproximadamente quatrocentas são gramíneas, como o capim-mimoso (veja mais em Flora dos campos no Brasil).
 
Quanto aos animais, há, no Brasil, pelo menos 385 espécies de aves, como pica-paus, caturritas e anum-pretos e noventa de mamíferos terrestres, como guaraxains, veados e tatus.

Clima

O clima da região é o temperado,[16] do tipo subtropical, que caracteriza-se por grande variação sazonal, com verões quentes e invernos bastante rigorosos, com a ocorrência de geada e precipitação eventual de neve.
 
Possui ainda as quatro estações do ano bem definidas. As temperaturas médias variam entre 15 e 18°C, com mínimas de até -10°C e máximas de 38°C.
 
A latitude reforça as influências das massas de ar oriundas da região polar e da área tropical continental e Atlântica. A movimentação e os encontros destas mas

 

 

Deixe uma resposta